Como não derreter no Rio de Janeiro, por Betina de Luca
Belezinha

Como não derreter no Rio de Janeiro, por Betina de Luca

por Vânia Goy

Eu amo seguir a Betina de Luca no Instagram. Primeiro porque o seu estilo é muito inspirador e autêntico, mesmo quando ela incorpora um monte de tendências aos seus looks. Adoro como ela nunca está perfeitamente arrumada. A Betina é o melhor exemplo de como deixar o look cuidadosamente displicente e, mesmo assim, impecável. E ela merece palmas por conseguir ser tudo isso sob o clima quente e úmido do Rio de Janeiro, fator extra que acaba com qualquer maquiagem e cabelo!

Uma publicação compartilhada por B E T I N A D E L U C A (@betinadeluca) em

Bagunça boa
“Moro no Rio, acho que por isso que tenho um estilo tão misturado. Tento sempre
combinar um pouco dessa cultura carioca, mais relaxada, com  meu jeito. Gosto de uma coisa mais minimalista, uso muito batom vermelho e delineador, que nem sempre são associados ao estilo das cariocas. De toda forma, prefiro um look despojado, meio bagunçado e ao mesmo tempo chique, sem ficar perua.”

Frizz amigo
“Uso muito o cabelo preso, com uma risca no meio. Adoro porque ele não sai do lugar e pode ficar horas assim. Nunca uso o secador, não faço escova, nada. Gosto da textura natural dos meus fios. Na verdade, não tem muito o que fazer no Rio de Janeiro, né? Se você é escrava da escova está ferrada: pinga de suor secando o cabelo e ele já fica totalmente fora de controle no momento em que seus pés pisam na calçada. Meu conselho: ame seu volume.”

Uma publicação compartilhada por B E T I N A D E L U C A (@betinadeluca) em

Para não derreter
“Uso a base em bastão da Shiseido todos os dias. Tenho a pele oleosa e esse stick tem FPS 36, cobre bem, é sequinho e não deixa aquela cara de pancake. Completo com máscara, blush e iluminador, e gosto muito dos produtos Bobby Brown. Quando tenho uma festa coloco um delineador mais dramático. E levo comigo aquelas folhas de papel matificantes, a base da Shiseido e um blush. No Rio tem que retocar a maquiagem, não adianta! Vivo de batom vermelho e os meus favoritos são clássicos da M.A.C: Ruby Woo e Russian Red, vermelho opaco, mais fechado e confortável.”

Em Ipanema
“Sou bem apegada ao meu cabelo comprido. Recentemente, fiz um corte médio mas não quero manter e já tô deixando crescer. Agora comecei a tingir os fios brancos. Vou em uma francesa descolada chamada Armelle D, que tem um salão em uma galeria de Ipanema. É um segredo mesmo, zero hypado. Adoro manter a cor assim, bem natural.”

Foto: João Bertholini

Posts Relacionados